FTC comemora 21 anos de história, inovação e desenvolvimento

01/02/2018


Os trilhos da Ferrovia Tereza Cristina fazem parte da história de 14 municípios da região Sul de Santa Catarina, com uma malha de 164 km. Aos 21 anos desde a concessão, que se completam neste mês, a empresa já investiu mais de R$ 66 milhões em infraestrutura, material rodante, sinalização e telecomunicações, desenvolvimento tecnológico, capacitação e outros.

Mas a história começou quando as locomotivas ainda eram movidas à vapor, produzido por lenha ou carvão mineral. As sinalizações eram realizadas com lanternas de lamparina, identificadas pelas cores vermelho, verde e branco, que refletiam em vidros coloridos e, a comunicação, por telefones à manivela, que dificilmente completavam a ligação.

Ao longo dos anos, os bairros começaram a se desenvolver e, as cidades ganharam forma. Em 1997, o governo transferiu à iniciativa privada a gestão do sistema ferroviário nacional. Desde então, foram contabilizados mais de 58 milhões de toneladas transportadas, gerando mais de R$ 189 milhões entre outorgas, arrendamentos e pagamento de tributos, em arrecadação ao Tesouro Nacional.

A princípio, o foco era o transporte de carvão da região carbonífera para o Complexo Termelétrico da Usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo. Com o passar dos anos, o crescimento da indústria proporcionou novas possibilidades para o transporte ferroviário, e a FTC agregou mais essa tarefa: o transporte de contêineres, com destino à cabotagem no Porto de Imbituba. A FTC também tem acesso ao Terminal Intermodal Sul (TIS), posicionado estrategicamente no maior polo cerâmico do Brasil.

O orgulho da Ferrovia Tereza Cristina é ter o apoio dos colaboradores. Em todos esses anos de atuação, a empresa conquistou as certificações na ISO 9001 (Gestão da Qualidade), ISO 14001 (Gestão Ambiental) e na OHSAS 18001 (Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional), reflexo da transparência e da ética, nos negócios e nos relacionamentos.
 

Fonte: Assessoria de Comunicação