Há duas décadas transportando as riquezas da região Sul de Santa Catarina

01/02/2017


Crescimento tecnológico e industrial impulsionam setor ferroviário, que contribui para o desenvolvimento socioeconômico do Estado.

O transporte ferroviário é um dos mais eficientes e ambientalmente sustentáveis, tanto que o número de carga transportada cresce significativamente, o que demonstra o grande potencial de crescimento e diversificação do setor. Com atuação em 14 municípios da região Sul de Santa Catarina, a Ferrovia Tereza Cristina (FTC), que administra uma malha de 164 km, foi criada em 1997 e completa 20 anos de Concessão na próxima quarta-feira (1º de fevereiro). Nessas duas décadas já superou mais de 55,5 milhões de toneladas transportadas: carvão mineral (para geração de energia) da região carbonífera para o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda (Engie), em Capivari de Baixo e carga geral (contêineres) com destino ao Porto de Imbituba.

Para o diretor-presidente da Ferrovia, Benony Schmitz Filho, desde que assumiu o desafio de reerguer o modal no Sul do Estado, a FTC já promoveu uma série de melhorias e aprimorou as operações. "Investimos mais de R$ 58,1 milhões em modernização de locomotivas, vagões e equipamentos de oficinas, recuperação da via permanente, sinalização, segurança de passagens em nível, desenvolvimento de softwares de gerenciamento operacional, adequações ambientais, capacitação do quadro de colaboradores e em programas de Responsabilidade Social, voltados para o bem-estar e qualidade de vida das comunidades lindeiras", destaca.

A FTC, uma operadora ferroviária de carga que oferece soluções logísticas integradas ao negócio dos clientes e com o compromisso de agregar valor aos parceiros, também gerou arrecadação, ao Tesouro Nacional, de cerca de R$ 173 milhões entre outorgas, arrendamentos e pagamentos de tributos.

Segurança é prioridade

A Ferrovia valoriza a vida e por isso sempre investe na prevenção. Segundo Benony, outro diferencial é o diálogo mantido com as comunidades lindeiras, essencial para fortalecer a relação, contribuindo para o desenvolvimento dos municípios onde está presente. "Com o objetivo de disseminar informações e, consequentemente, reduzir o número de acidentes envolvendo veículos, pedestres e motoristas, a empresa, por meio do Programa Paz na Linha, promovemos ações de conscientização nos cruzamentos rodoferroviários e nas escolas municipais e estaduais da região onde atuamos. Só em 2016, mais de 1,6 mil crianças receberam a equipe da FTC e outros 8 mil condutores rodoviários foram abordados nas blitzes educativas", relata o diretor-presidente.

De acordo com ele, a segurança operacional também é garantida com as frequentes inspeções nas sinalizações, ao longo dos trechos da via férrea. "Só no último ano, foram realizados 410 trabalhos preventivos e 28 manutenções de ocorrências ferroviárias de sinalização. O trabalho de roçadas nas Passagens em Níveis (PN’s) também contribuí e assegura a visibilidade dos maquinistas e condutores rodoviários", salienta.

Transporte de Qualidade

Em conformidade com seus princípios a Ferrovia Tereza Cristina mantém um Sistema de Gestão Corporativo (SGC) alinhado com as mais modernas práticas do mercado. A transparência e a ética nos negócios e nos relacionamentos, a prestação de contas e a fiscalização dos atos administrativos e de gestão são os elementos centrais desse modelo. Tanto que, todo ano, a empresa reafirma e mantém, com o engajamento dos colaboradores, as certificações na ISO 9001 (Gestão da Qualidade), ISO 14001 (Gestão Ambiental) e na OHSAS 18001 (Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional).

Matéria-prima

O carvão mineral é um combustível fóssil natural extraído da terra, por meio do processo de mineração. É encontrado em grandes profundidades ou perto da superfície e possui aparência preta ou marrom, lisa, macia e quebradiça. Dos diversos combustíveis produzidos e conservados pela natureza sob a forma fossilizada, acredita-se que o carvão mineral é o mais abundante. O principal produto transportado pela Ferrovia Tereza Cristina, é o protagonista no desenvolvimento da economia da região Sul de Santa Catarina. Além da promoção de empregos e a geração de energia elétrica, esta importante matéria-prima abastece toda a cadeia produtiva, contribuindo assim com o crescimento do Estado.

Sempre em desenvolvimento

Os profissionais que atuam na FTC têm oportunidades de educação continuada. Equipes e gestores participam de atividades que possibilitam o desenvolvimento conjunto dos serviços e, além disso, o incentivo ao estudo é prática recorrente na Ferrovia.

Responsabilidade Socioambiental

A FTC é uma empresa que tem a sustentabilidade como um dos seus pilares estratégicos, tanto que a responsabilidade na interação com o meio ambiente e a comunidade é valor corporativo da empresa. É compromisso da Ferrovia respeitar a biodiversidade e as comunidades onde está inserida, por meio de ações que minimizem os impactos das atividades produzidas, de forma que favoreçam a conscientização e contribuam para o desenvolvimento local, buscando deixar um legado positivo.

A empresa está comprometida com o meio ambiente, por meio de uma gestão preventiva, em relação a possíveis riscos e impactos nas atividades executadas diariamente. No que se refere à proteção ambiental, a atuação se dá de forma abrangente, em frentes como mutirões de limpeza, realizados ao longo da linha férrea, coleta seletiva, gestão de resíduos e efluentes, monitoramento de emissões atmosféricas, redução do consumo de recursos naturais, palestras, incentivo ao plantio de mudas, estímulo à reciclagem de materiais e fiscalização permanente, por meio de auditorias internas.

Unindo as linhas

A Ferrovia Litorânea é a principal expectativa da FTC. O projeto de construção da ferrovia, que vai interligar os portos catarinenses, terá quase 240 quilômetros, unindo os trilhos da Ferrovia Tereza Cristina, aos portos de Imbituba, Itajaí e São Francisco do Sul. Outra proposta é a Ferrovia Leste-Oeste, com projeto de 862 quilômetros, sendo que o trajeto inicial deve sair de Dionísio Cerqueira, passando por São Miguel do Oeste, Chapecó, Heval D'Oeste e Santa Cecília, até o porto de Itajaí. Esses projetos, quando em prática, prometem ampliar o transporte de produtos, contribuindo significativamente para o desenvolvimento de todo o Estado, e favorecendo o transporte ferroviário de todo o país.

Tecnologia

O Sistema de Gerenciamento Ferroviário (Sigefer), garante a segurança das cargas e do cliente, que pode consultar via web, desde o carregamento e deslocamento até a descarga dos produtos. A FTC também possui um moderno sistema de rastreamento via satélite, para monitoramento dos trens, cujos dados são transmitidos, em tempo real, para o Centro de Controle Operacional (CCO).

Fonte: Assessoria de Comunicação