Reuniões na Europa trazem boas perspectivas ao Carvão Mineral

07/11/2017


ABCM foi convidada a integrar as ações da América Latina na ONU e apresentar os progressos feitos no Projeto de captura de Carbono.

Reforçar a importância do carvão mineral nas matrizes energéticas e acompanhar o papel da indústria nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, esses foram os principais objetivos da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM) na viagem feita na última semana à Europa. O presidente da ABCM, eng. Fernando Luiz Zancan, cumpriu uma extensa agenda, onde participou de reunião em Genebra, na Comissão Econômica Europeia da ONU, do grupo de especialistas de combustão limpa de combustíveis fósseis.

Participou de um seminário em Londres, promovido pela Associação Mundial do Carvão (WCA), que discorreu sobre o papel do carvão no atendimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e o financiamento das tecnologias limpas do carvão, em especial projetos de Captura e Armazenamento de Carbono (CCS). Além da participação em Paris, da Reunião do Conselho Consultivo da Industria do Carvão na Agência Internacional de Energia (IEA).

“Destes encontros fica claro a importância do carvão na matriz energética mundial, sendo o combustível escolhido pelos países em desenvolvimento, em especial, China, Índia e sudeste asiático, onde essa fonte de energia contribui para a redução da miséria, eletrificação e desenvolvimento, atingindo as metas da ONU para o desenvolvimento sustentável. Esse assunto é relevante para a África também”, explica o presidente da ABCM.

As questões ambientas foram assunto decorrente, já que a Sustentabilidade tem se tornado um dos principais objetivos da indústria. “Quanto as questões ambientais, fica claro a necessidade de que haja uma paridade de financiamento, igualando os recursos para pesquisa tecnológica e para projetos de demonstração da tecnologia de Captura e Armazenamento de CO2, aos investimentos feitos nos combustíveis renováveis. A importância de tecnologias despacháveis de baixo carbono como o CCS é vital para o mundo equacionar a questão do desenvolvimento econômico com a questão ambiental. A questão da intermitência das renováveis fica cada vez mais evidente, algo que estamos vendo na falta de água no Brasil neste momento”, afirma Zancan.

Como resultado destes eventos, a ABCM foi convidada a integrar as ações da América Latina na ONU e apresentar os progressos feitos no Projeto de Captura de Carbono do Centro Tecnológico SATC no ano que vem em Cambridge (UK) e em Paris no Conselho Consultivo da Indústria do Carvão (CIAB).

Mais informações: Fernando Zancan - Presidente da ABCM - (48) 999786555

Fonte: Assessoria de Imprensa Siecesc