Setor de transporte ferroviário discute cenário atual e revela perspectivas para a pós-pandemia

02/12/2020


Evento digital NT Expo Xperience reuniu profissionais e autoridades públicas do segmento de transporte de cargas e passageiros por trilhos para debater o futuro e o papel do modal na economia do país

O cenário do transporte ferroviário de cargas e passageiros e as perspectivas para o momento pós-pandemia da Covid-19 foi a temática que liderou o conteúdo exclusivo de painéis ao vivo e apresentações da NT Expo Xperience, evento 100% digital, que aconteceu na última semana, de 24 a 26 de novembro.

"O NT Expo - Negócios nos Trilhos é um dos mais tradicionais eventos do setor ferroviário do país. E a transformação em uma experiência online foi um desafio que a equipe multidisciplinar da Informa Markets, com a contribuição de importantes parceiros, como a Revista Ferroviária, curadora do conteúdo das palestras, conseguiu superar. A estreia da NT Expo Xperience foi um sucesso, que alcançou o objetivo principal ao manter o debate sobre o setor aquecido com a participação de especialistas, de autoridades públicas e da iniciativa privada", comemora o diretor da NT Expo, Hermano Pinto.

Ao longo dos três dias de evento, a plataforma Xperience registrou cerca de 1.300 acessos e aproximadamente 18 mil visualizações (pageviews). Em 2021, a NT Expo será realizada na versão Summit, com palestras e uma área de negócios, de 31 de agosto a 2 de setembro, no São Paulo Expo, capital paulista. O evento acontecerá em paralelo à Intermodal South America.

Conteúdo -- A programação exclusiva do NT Expo Xperience ofereceu, durante os três dias de realização, mais de 20 horas de conteúdo, com a participação de mais de 60 palestrantes. A pauta do evento 'trilhou' dois segmentos do transporte ferroviário: cargas e passageiros.

O painel de abertura contou com a participação do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Davi Barreto, o presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias - empresa pública ligada ao Ministério da Infraestrutura -, André Kuhn e o diretor do Departamento de Transportes Ferroviários no Ministério da Infraestrutura (Minfra), Ismael Trinks. Eles falaram sobre os novos modelos de concessões de ferrovias para a iniciativa privada, como o investimento cruzado, e o andamento de empreendimentos chave, como a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

Para Barreto, há sinais claros da capacidade que os investimentos privados possuem para contribuir para a retomada econômica do Brasil no cenário pós-pandemia. Neste sentido, também participaram do evento representantes das principais concessionárias de transporte ferroviário de cargas do país: MRS Logística, Rumo Logística, Vale e VLI Logística, para abordar as expectativas de planos e projetos para o futuro.

A indústria ferroviária ganhou destaque na programação, com painéis mediados pelo presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate. Entre os temas abordados, o foco foi a descarbonização dos ativos do setor ferroviário e as soluções para a eletrificação do sistema de transporte, como o desenvolvimento da primeira locomotiva 100% elétrica pela empresa Vale e parceiros, que está em fase de testes desde setembro, no pátio da empresa na unidade de Tubarão, em Vitória (ES).

Outro tema de debate foi a luta das associações ligadas à indústria ferroviária para equilibrar a competição entre os fabricantes nacionais e estrangeiros. A questão central é a reivindicação por isonomia tributária. Isso porque alguns estados brasileiros têm aplicado a imunidade tributária na importação de trens, o que leva a uma concorrência injusta com o produto nacional.

Transporte de passageiros sobre trilhos

O impacto da pandemia da Covid-19 na mobilidade urbana foi o ponto principal dos painéis e apresentações que aconteceram sobre o segmento, com a mediação de representantes da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos). O secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, e o secretário de Transportes do Estado do Rio de Janeiro, defenderam que é preciso criar novas fontes de subsídios federais para o transporte público coletivo e saber a orientação sobre qual será o plano federal para o modal em 2021.

Já os operadores privados de trens e metrôs falaram sobre as perdas sofridas e alertaram para a necessidade de modernização nos contratos de concessão, em especial na cidade do Rio Janeiro. Para o presidente da SuperVia, concessionária de trens urbanos, Antonio Carlos Sanches, e o presidente do MetrôRio, empresa que faz a operação das linhas de metrôs, Guilherme Ramalho, a reversão do status atual só será possível com uma combinação de medidas pensadas, de curto a longo prazo.

Para agora, seria necessário um aporte financeiro emergencial providenciado pelo governo estadual do Rio, que permitisse o equilíbrio financeiro entre custos e despesas. E, no médio e longo prazo, a repactuação e modernização dos contratos, com mecanismos de custeio de tarifas que considerem a flutuação da demanda, políticas de financiamento para investimentos e a organização, regulação e integração do transporte coletivo metropolitano.

O diretor de Mobilidade da CCR - empresa que é um braço do grupo CCR, responsável pela operação na Via Quatro (Linha Amarela) e Via Mobilidade (Linha 5 Lilás) do metrô de São Paulo e do metrô de Salvador, na Bahia -, Luís Valença, colaborou abordando o potencial de modelos de concessões diferentes, como os conduzidos pela CCR em São Paulo e na Bahia, que foram estabelecidos por PPPs (Parcerias Público-Privadas).

Inovação -- A procura por novas tecnologias que facilitem o dia a dia e melhorem a experiência dos usuários dos sistemas de transporte de passageiros sobre trilhos no eixo Rio-São Paulo também foi destaque da NT Expo Xperience. O gerente de execuções financeiras do Metrô de São Paulo, Edvaldo Pedreira Sobrinho, falou sobre inovações nas formas de cobrança e pagamento de passagens pelos usuários. No primeiro trimestre de 2021, a novidade será o pagamento por meio da tecnologia de QR Code.

Já a especialista de planejamento estratégico do MetrôRio, Ingrid Rocha, falou sobre o recente lançamento do modelo de pagamento de passagens por aproximação de qualquer acessório que esteja dotado da tecnologia, como cartões de crédito, celulares, relógios, entre outros. E o diretor de operações do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) Carioca, Paulo Ferreira, ressaltou o sistema integrado de bilhetagem, que faz a validação das passagens diretamente nos trens do VLT.

O VLT também entrou em pauta no evento em outro painel, em que especialistas debateram o papel do sistema como modo de transporte estruturante no planejamento urbano das médias cidades (entre 100 e 300 mil habitantes). Segundo os participantes, o maior desafio para a implantação de VLT’s no Brasil é que o tema não entrou no radar das autoridades de forma permanente, comprometendo o potencial da participação da iniciativa privada.

Empresas patrocinadoras

Também participaram do evento com a apresentação de conteúdos as empresas patrocinadoras do evento: L.B. Foster, fabricante de equipamentos de construção, manutenção e componentes para via permanente; Thales, empresa francesa que comercializa sistemas de informação e serviços para as indústrias aeroespacial, de defesa, transportes e segurança; Dellner, empresa sueca líder global na produção de sistemas de conexões para trens; Cisco, líder mundial em tecnologia da informação e redes e Marcopolo Rail, nova marca da Marcopolo para o segmento metroferroviário.

Sobre a NT Expo Xperience

A Informa Markets, organizadora da NT Expo - Negócios nos Trilhos, principal ponto de encontro do setor ferroviário na América Latina, inova e oferece um evento virtual para todos os profissionais ligados a operadores e à cadeia de fornecedores de equipamentos, tecnologia e serviços para o setor ferroviário: a NT Expo Xperience.

Trata-se de um evento digital exclusivo que promete reunir todos os players dos segmentos do universo da NT Expo em um único canal virtual e promover o intercâmbio de conteúdo, geração de negócios e interação. Em 2020, o encontro aconteceu de 24 a 26 de novembro.

 
 
 
 
 
 
 

Fonte: Segs